Notícias

“RETREINAR”: FERMESP ENVIA OFÍCIO AO GOVERNADOR

São Paulo, 30 de junho de 2020

Ofício nº FERMESP-001/100/2020.

Ao Excelentíssimo Senhor
JOÃO DORIA JUNIOR
Digníssimo Governador do Estado de São Paulo

 

Senhor Governador,

 

Não há e não haverá nenhuma condescendência com violência policial sob qualquer justificativa. É incompatível com uma polícia bem treinada e bem preparada que uma minoria que representa menos de 1% possa comprometer 99% de uma polícia séria.

Não são palavras nossas, mas de V. Exª, ao comentar recentes episódios de violência envolvendo policiais militares. Daí o espanto causado por sua intenção de “retreinar” a totalidade da tropa, para corrigir-lhe os vícios.

Dado o teor desse discurso, não seria exagero falar-se em injustiça, revolta, humilhação, como sentimentos que emergiram no íntimo de policiais de todos os escalões. Ofendidos em nosso pundonor, não há negar que consideramos ofensivo e desmoralizante a brutal contradição das palavras de V. Exª ao valer-se de falhas pontuais – inaceitáveis também para nós –, como regra geral de conduta, a sinalizar um quadro de despreparo, ineficiência ou ausência de comando nos vários escalões da tropa.

Há não muito tempo, durante a campanha eleitoral que o guindou ao seu alto cargo, e em muitas oportunidades, já no seu exercício, realçou V. Exª o valor e a atuação da Polícia Militar paulista. Comprometeu-se mesmo a envidar esforços e destinar recursos para manter sua reconhecida condição de melhor do País.

Não exagerou V. Exª ao tecer considerações elogiosas à Polícia Militar paulista em outras ocasiões, nem nos falta humildade em reconhecê-lo, posto que não somos nós que o dizemos, mas organismos nacionais e estrangeiros, várias corporações e, acima de tudo, os fatos que a colocam, estatisticamente, em posição meritória no tocante ao resultado da atuação policial.

Sabemos que costuma V. Exª reunir-se regularmente com membros do alto comando da Polícia Militar, além de assessores de seu gabinete e da secretaria da Segurança Pública. Parece-nos esplêndida ocasião para analisar e debater temas correlatos, alinhavando-se projetos para o contínuo aperfeiçoamento da atuação policial. Supomos seja o que já ocorre. Por outro lado, quer nos parecer não ter tido ainda tempo ou oportunidade para debruçar-se sobre a estrutura organizacional de tão delicada área da administração pública, muito menos de assenhorear-se do sistema de ensino da Polícia Militar. Seria importantíssimo fazê-lo antes de devolver seus componentes, de coronéis a soldados, aos bancos escolares. Uma decisão muito chocante, em se tratando de policiais experimentados em sua atividade, com formação e aperfeiçoamento através de cursos de alto nível, inclusive de mestrado e doutorado. Eles fazem parte – oficiais e praças – dos 99% da “polícia séria” a que se referiu. “Retreiná-los”, uma infeliz expressão, representaria praticamente uma abominação, inaceitável a profissionais sérios e dedicados a atividades com riscos às próprias vidas.

Reunimos, como federação, 16 entidades representativas de policiais militares de todos os postos e graduações, e de pensionistas, todas coesas e uniformes nas considerações que ora fazemos. Não há discordância no pensar e no sentir o quanto de insatisfação se vem acumulando ao longo do tempo, diante da discrepância observada entre os discursos do candidato e a ação do chefe do Executivo estadual.

Considerando o acima exposto, parece-nos oportuníssimo reunir-se V. Exª com representantes de nossas entidades para, junto ao secretário da Segurança Pública e ao Comando Geral, estabelecer uma conversação franca sobre a realidade de nossa Corporação em seus vários aspectos.

Espero entenda V. Exª essa proposta como colaboração e apoio à sua gestão no campo da segurança pública.

Aproveito a oportunidade para renovar a V. Exª os protestos de nosso respeito e consideração.

Atenciosamente,

Antonio Chiari
Cel PM – Presidente da FERMESP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *