O VENTRE NÃO PROTEGE MAIS

(*) Coronel Figueiredo 
Desde sempre ouvimos dizer que o lugar onde o Ser Humano mais estaria protegido seria o ventre materno: lá, no interior do corpo da Mãe, o filho estaria completamente isento de todo contato com o mundo exterior e nada lhe afetaria ou faltaria. 

Numa verdadeira engenharia divina, inexplicável em muitos aspectos pela ciência, o filho encontraria no ventre da Mãe uma espécie de bunker, estando defeso de todo tipo de ataque que lhe pudesse ser dirigido. 

O episódio recentemente ocorrido na cidade do Rio de Janeiro em que uma “bala perdida” atingiu a barriga de uma Mãe grávida ferindo a ela e ao seu filho, é simbolicamente relevante para refletirmos sobre o nível de degradação em que se encontra a nossa Sociedade, particularmente no que se refere à segurança pública.

Aquele Ser Humano que sequer tinha vindo ao mundo, onde teria mais condições para se defender, estando num lugar de proteção sagrada, foi atingido sem nenhuma possibilidade de defesa: não tem sido diferente com muitas pessoas que, no interior de suas propriedades, casas ou comércios, também são atingidas pela ação de criminosos.

A segurança pública no Brasil está na UTI e muitos insistem em não enxergar este cenário!

Com penas cada vez mais tênues, com processos penais cada vez mais morosos, com recursos e armas para a concretização dos crimes cada vez mais abundantes, com fronteiras com mínima vigilância, os criminosos estão seguros de que vale a pena estar e continuar no mundo do crime.

Se a próxima vítima será um cidadão, um policial, um pedreiro, um comerciante, um empresário, uma Mãe ou um feto, pouco importa…

De outro lado, assistimos uma imprensa que, com raríssimas e elogiosas exceções, mais se preocupa em “satanizar” o aparelho policial do que em fomentar a discussão por alternativas para a reversão do estado caótico em que vivemos: preocupam-se mais com a manchete ou o “furo” do dia do que em contribuir com propostas eficientes para reverter o cenário em que vivemos.

O feto baleado só terá a importância pela quantidade de dias que a notícia chamar a atenção…depois será esquecido!!!

Num País onde nem mesmo o ventre protege, talvez a saída seja mesmo o Aeroporto Internacional….
(*) é Coronel da Polícia Militar do Estado de São Paulo e Associado da DEFENDA PM.

DEPUTADO DO PT, COM VIATURA OFICIAL, AFRONTA A PM ÀS 04:10 EM BAIRRO BOÊMIO

O deputado Alencar Santana Braga (PT) protagonizou uma cena lamentável na madrugada de hoje (30/06), no bairro da Bela Vista, centro de São Paulo. Uma simples averiguação policial foi por ele tomada como uma ação de desrespeito ao seu mandato, o que ensejou um comportamento, no mínimo, truculento e desrespeitoso aos policiais militares que trabalham para proteger pessoas e o patrimônio público.

Uma equipe compareceu ao local para averiguar denúncia feita ao 190 de adulteração de placas em veículo que encontrava-se estacionado. Os policiais militares constataram tratar-se de veículo oficial da Assembleia Legislativa de São Paulo, e procuraram pelas pessoas que o utilizavam. Constatada a legalidade do veículo e da situação, os policiais já estavam para retomar seus afazeres quando foram confrontados pelo deputado Alencar, que saiu da pizzaria para fazer valer sua “otoridade”, chegando a parar na frente da viatura para impedir que o policial a manobrasse.

Numa conversa repetitiva e sem fim, ele questionou o trabalho dos policiais militares, perguntando várias vezes se um veículo da Assembleia Legislativa poderia ser considerado suspeito. O oficial na ocorrência explicou reiteradamente que a Polícia suspeitou da presença do veículo àquela hora e naquele local, e foi investigar. O Capitão chegou a dizer que a PM estava agindo em proteção ao deputado, que poderia estar sendo vítima de sequestro.

De nada adiantaram as explicações, visto que o parlamentar estava com o espírito alterado, mostrando-se indignado, e passou a desrespeitar o trabalho da Polícia Militar, parecendo mais preocupado com sua pizza que estava esfriando sobre a mesa.

A Defenda PM levanta a voz para lamentar a atitude de quem deveria, por dever de ofício, como representante eleito pelo povo, entender e defender o trabalho da Polícia Militar do Estado de São Paulo, uma Instituição quase bicentenária que merece todo respeito. Um deputado tem por obrigação conhecer a separação dos Poderes e as funções da Polícia, e não se mostrar superior às leis e ao trabalho policial simplesmente porque tem um mandato eletivo. “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza…” é o que diz o artigo 5º da Constituição Federal.

A Defenda PM repudia o comportamento do deputado Alencar Santana Braga (PT), defende e enaltece os oficiais e praças que conduziram a operação de forma ímpar, e avisa que tomará todas as medidas cabíveis para coibir tal comportamento no futuro.   

A Defenda PM também destaca e elogia o comportamento dos policiais militares que, pacientemente, ouviram o parlamentar, procuraram entender seus argumentos sem fundamento, e jamais o desrespeitaram. A equipe mostrou-se competente para conduzir a situação. Comprovada a legalidade do veículo, procurou saber do paradeiro de seus ocupantes provando, mais uma vez, seu compromisso de defender a vida e preservar o patrimônio público. Qualquer observador haverá de concordar em que um veículo oficial, patrimônio do povo paulista, parado às 4h10 da manhã de uma quinta-feira, num bairro boêmio, levanta suspeita.