LUGAR DE POLÍCIA TAMBÉM É NA ESCOLA SIM….

Associação dos Oficiais Militares do Estado de São Paulo em Defesa da Polícia Militar

LUGAR DE POLÍCIA TAMBÉM É NA ESCOLA SIM….

A DEFENDA PM se manifesta sobre educadores que são contra policiais militares nas escolas.
Leiam o texto abaixo.

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

_________________________________________________________________________________

Os fundamentos da macroeconomia mundial sofrem mudanças sem precedentes na história da humanidade, pois passamos por um novo momento de destruição do modelo vigente e a chamada reconstrução produtiva. Dentre vários exemplos possíveis, podemos citar tecnologias que mudam o comportamento humano, tais como aplicativos de mobilidade urbana que permitem ao usuário encontrar motoristas que estejam à sua disposição para levá-lo aos lugares pretendidos. Esta realidade incluiu vários desempregados por meio da disponibilização de oportunidades de negócios individuais, impensáveis a décadas atrás. Estamos vivendo, ainda, a próxima revolução em curso, a internet 5G, aumentando ainda mais as possibilidades de atuação diante da inteligência artificial.


Pois bem, chegamos a este momento graças à característica exclusiva dos seres humanos, pelo menos dentro do universo observável, ou seja, a capacidade de aprender e ensinar. Exatamente isto que nos diferencia de as outras espécies que compartilham conosco a existência sobre a crosta terrestre. Aprendemos e ensinamos graças às possibilidades herdadas de geração em geração ao longo de milhares de anos e hoje podemos desfrutar desta evolução.


Ver esta liberdade de aprender e ensinar ameaçada por pessoas que têm coragem de emprestar seus nomes para criticar a possibilidade de militares exercer a docência nos causa extrema tristeza. Ora, o artigo em epígrafe cita dizeres de Denise Carreira, doutora em educação pela Universidade de São Paulo (USP): “Lugar de policial não é na escola”. Penso que se policial não pode ir à escola, esta professora defende o quê? Quem deve frequentar escolas: traficantes, homicidas, estupradores e ladrões e outros tantos criminosos? Realmente, se esta é sua opinião, tais frequências mútuas são incompatíveis e policiais não devem frequentar a escola, deixe-a nas mãos dos infratores da lei, mas seja capaz de assumir seus atos e suas consequências.


Outra citação parte do senhor Heleno Araújo, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE): “Utilizar o notório saber para o ensino médio é utilizar policiais e bombeiros para encher as salas de aula com profissionais que não possuem licenciatura. É uma manobra, é um crime contra a educação brasileira”. Lamentável a colocação de uma pessoa que não tem a percepção da responsabilidade de exercer a função que é investido, pois não cumpre a liturgia do cargo. Deveria pensar em criminalizar primeiramente a própria consciência para evitar cometer estes erros de fundamento. Criminalizar a docência constitui-se em um atendado à educação.


Penso que estas colocações têm fundamento apenas na ignorância. Essas pessoas ignoram a capacidade dos militares exercerem a docência que, aliás, o fazem dentro e fora das circunscrições dos quartéis com maestria. Ousamos dizer que temos militares docentes em todas as áreas do conhecimento humano. Militares, de forma geral, contribuíram na formação do atual Presidente da República, de Ministros do Supremo Tribunal Federal, de Governadores, de Desembargadores, de Generais, dentre outros, comprometidos com o país.
Penso que essas pessoas ignoram o conhecimento transmitido pelas Escolas Militares. Cito, apenas como um exemplo dentre vários, a Escola Superior de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo que é responsável pela formação de todos os Bombeiros de estado de São Paulo. Para conhecimento, o Corpo de Bombeiros é a instituição que recebe anualmente a primeira colocação, de forma consecutiva, o Prêmio Marcas de Confiança, da Revista Seleções, com índices superiores a 90%.  Formação militar para prestação de serviços públicos de qualidade inigualável.


Por fim, submetam os militares a todos os requisitos para o exercício da docência, sem estereótipos e preconceitos esquerdistas, e quem tiver competência que se estabeleça de maneira que vença a educação de qualidade e também o Brasil, que tanto carece de bons profissionais de educação. 


Acessem o link da matéria abaixo e tirem suas conclusões.

http://sindiute.org.br/noticias/permissao-para-pms-darem-aula-e-crime-contra-a-educacao-critica-presidente-da-cnte/

%d blogueiros gostam disto: