DESCANSE EM PAZ, SARGENTO RUAS

Associação dos Oficiais Militares do Estado de São Paulo em Defesa da Polícia Militar

DESCANSE EM PAZ, SARGENTO RUAS

(*) Major PM Patrícia Félix de Souza Renesto da Silva

Eu não conhecia o Sargento Ruas. Mas, pelo pouco que li nas mensagens que circulam desde o momento que soubemos de sua morte, já dá para imaginar o quanto ele era diferenciado.
Quase veterano, com trinta e um anos de serviço, tinha disposição de um recruta no implacável combate ao crime e no dever de proteger as pessoas.

E foi protegendo as ruas paulistanas que o Ruas e não conseguiu salvar a si próprio. Nas ruas, o Ruas selou o seu destino. Hoje, Dia de Finados, ele reforça o pelotão de guerreiros que deu a vida pela defesa da sociedade. Mais uma família devastada pela perda irreparável e que amanhã trocará um filho, um esposo e pai de família por um pedaço de pano verde e amarelo; mais um Batalhão que perde um de seus melhores policiais militares.

Muitos sequer têm conhecimento acerca do número de PM que morrem no Estado de São Paulo, em serviço ou pelo simples fato de serem reconhecidos, quando de folga, como policiais. Mesmo com salários muito aquém do que verdadeiramente merecem, os agentes da maior Polícia brasileira não temem em enfrentar os criminosos, que se multiplicam aos montes feito ervas daninhas alimentadas por diversos “adubos jurídicos”, pela imprensa que vangloria os bandidos e, por consequência, pela certeza da impunidade.

O sentimento que move nossos policiais militares na direção do bem, da justiça e da necessidade de prover segurança às pessoas com o sacrifício da própria vida é algo até mesmo difícil de explicar, mas se traduz em algumas singelas, porém grandiosas, palavras: força e honra, lealdade e constância, dever de cumprir. Só quem enverga uma farda entende o significado destas palavras.

Descanse em paz, Sargento Ruas!
(*) É Oficial da Polícia Militar do Estado de São Paulo e associada da DEFENDA PM.

%d blogueiros gostam disto: