SIM, EU ESTIVE LÁ !!!

(*) Daniele Cristina Oliveira de Freitas

Sim, eu estive lá e todos os seus irmãos de farda também. Sim, eu estive lá para tentar entender o que não se consegue explicar. Sim, eu estive lá na madrugada fria, para tentar aquecer aqueles que sentiam frio na alma. Sim, eu estive lá para fazer acontecer o que nenhum comandante quer ter que fazer.

Sim, eu estive lá a consolar uma esposa inconsolável. Sim, eu estive lá a amparar uma mãe que sabia que seu filho não voltaria, mas que nunca o deixará sair de seu coração. Sim, eu estive lá a explicar a uma menininha fardada que homenagem significa agradecimento. Sim, eu estive lá para junto com a nossa família policial dizer adeus. Sim, eu estive lá e preferia não ter estado.

Eu queria na verdade, não ter ido lá. Queria agradecer a você com palavras e não com uma salva de tiros. Queria agradecer a você pelos quatorze anos de serviços prestados à sociedade paulista numa solenidade festiva. Queria nunca mais ter que ir lá. Queria que as pessoas de bem soubessem o que significa o juramento que você fez. Queria que as pessoas más não ficassem impunes ao escolher tirar a vida de policiais. Queria tantas coisas, assim como você com certeza também queria e hoje não pode mais querer.

Então desejo que o seu sacrifício seja lembrado. Desejo que sua filha tenha orgulho do pai. Desejo que a saudade daqueles que te amam se transforme em alento. Enfim te desejo a paz e a morada eterna de Deus. E rogo a Ele nunca mais ter que ir lá.

Lourenço vá em paz e que Deus em sua infinita bondade possa confortar os seus!!!

​(*) É Coronel da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Comandante do CPA/M-9, Bacharel, Mestre e Doutora em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública e Associada da DEFENDA PM.