OUVIDOR QUE FALA DEMAIS E ESCUTA DE MENOS: POLICIAL NÃO ATIRA PARA MATAR, SR. OUVIDOR!!!

(*) Elias Miler da Silva

Na data de 13/09/17 foi publicado na Folha de São Paulo, on-line, artigo o qual informa que policiais (civis e militares) estão autorizados à comprar armas, para sua DEFESA, nos calibres de uso restrito até então às Forças Armadas e Policiais em serviço. Notadamente, a matéria apresentada pelo jornalista Rogério Pagnan cita, especificamente, do calibre 9mm, dando a conotação de que a liberação de um calibre “tão devastador” nas mãos dos policiais quando de folga.

Aliado a isso, onde se discutiu de forma leviana que a este novo calibre liberado para os policiais de folga tem a capacidade de matar apenas com um disparo em área vital, ou que sua capacidade letal se deve a ser uma arma transfixante.

Não bastasse a matéria não esclarecer, apenas jogar mais confusão em um assunto chamado segurança pública, vem o senhor Ouvidor da Polícia do Estado, para nós um verdadeiro FALADOR de Polícia, literalmente dar seu “pitaco”, como “especialista”, onde do alto de seu conhecimento técnico sobre armas e calibres, sentencia “Um policial com uma arma dessas vai se sentir mais poderoso e com mais facilidade para tirar a vida de alguém”.

Bem, após apresentarmos este verdadeiro show de horrores elencado na matéria em comento, cabe-nos colocar uma luz nesse assunto:

Assim como o calibre .40 (usual da maioria das polícias brasileiras), o calibre 9mm também está presente em forças policiais tanto aqui, quanto em outras forças policiais pelo mundo, e sim pela sua capacidade de incapacitar o infrator (ou agressor) armado que atente contra a vida dos policiais ou de terceiros.

Vários estudos demonstram que tais calibres (juntamente com o calibre .45) possuem um poder de parada muito próximo, havendo especialistas sobre tal tema com diversos posicionamentos: uns favoráveis a um ou outro calibre; que não há um consenso sobre qual seria o calibre ideal para uso policial (o mesmo FBI que hoje está voltando a utilizar as pistolas 9mm, foi quem fez o estudo para a adoção do .40 na década de 90, devido ao “Cerco de Waco – Texas”).

O que se tem que frisar é: o policial deve ter o melhor armamento, tanto para seu uso em serviço, como para uso pessoal, seja para sua defesa pessoal, seja para defender a população.

POIS O POLICIAL NÃO MATA!!! ELE DEFENDE A SI E A TERCEIROS!!!

Policial não se sente poderoso por portar arma de fogo! Quem possui este sentimento mórbido é bandido que tira “selfie” e posta nas redes sociais.

Policial cumpre a lei (prender o bandido). Quem opta pelo confronto é o infrator da lei/agressor!!! Frase esta inclusive dita pelo Exmo. Sr. Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Policial não atira para matar, ele efetua disparos visando incapacitar a ação de um agressor que atenta contra a vida daquele e de outras pessoas!!!

Faço questão de colocar a palavra INCAPACITAR, por que é isto que qualquer força policial ensina, treina e, quando necessário do uso da força letal, pratica. Portanto ERRA de forma grosseira, leviana e preconceituosa o Ouvidor (falador) de Polícia, ao afirmar que o policial mata. NÃO SENHOR OUVIDOR, O POLICIAL TREINA PARA EFETUAR DISPAROS VISANDO CESSAR UMA AGRESSÃO INJUSTA E ILEGAL. Portanto, em uma situação de confronto, ele efetua disparos com este objetivo.

Aliás, se o Ouvidor e o jornalista Rogério Pagnan, diga-se que já foi policial militar e deveria conhecer um pouco mais do assunto, soubessem como efetivamente é realizado o Treinamento de Tiro Defensivo na Preservação da Vida (Método Giraldi), certamente entenderiam que o uso de calibres com maior poder de parada (stoping power) é um dos fatores determinantes no uso correto e escalonado da força, além dos procedimentos que são ministrados em todos os cursos de formação da PMESP.

Peca o jornalista em apresentar uma matéria de conteúdo raso, mas o maior pecado é do Ouvidor que, nas entrelinhas de seu raciocínio, demonstra seu menosprezo pelos policiais, ao compará-los com potenciais assassinos que tirarão vidas humanas.

Gostaríamos de ver a mesma preocupação do Sr. Ouvidor com o caso do Ten Okada que foi covardemente assassinado esta semana.

Gostaríamos de ver a preocupação do Sr. Ouvidor com o caso das armas Taurus que disparam acidentalmente ferindo e matando policiais, vindo a público exigir que tomem providências para melhorar os equipamentos, pois vidas humanas estão em risco!!! (TODAS VIDAS HUMANAS, SR, OUVIDOR).

Sr. Governador Geraldo Alckmin: já pedimos uma vez que Vossa Excelência analisasse a troca do seu verdadeiro FALADOR de Polícia e Não Ouvidor e indicasse alguém que fosse mais técnico e menos revanchista da Polícia Militar.
(*) É Coronel da Reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) e Presidente da DEFENDA PM.

www.defendapm.org.br

Deixe uma resposta